Episódio #017 – Entrevista Guilherme – Ter ideia é aquele 1% vagabundo – Parte 2

Episódio 17

iTunes: PodCast Movimento Pró-Futuro By Marcelo Chamarelli

A vida é incrível quando você encontra aquela vocação, arte, meio de vida que realmente te inspira todos os dias. Minha segunda entrevista com o Guilherme retrata isso, para as duas partes. É muito bom encontrar gente que está nesta mesma pegada, fazendo as coisas acontecerem todos os dias e pensando, principalmente, em como deixar um legado nesta vida. Afinal de contas, todos existem, mas poucos estão realmente vivendo.

Este episódio conta a jornada da Startup do Guilherme, a Gubes, uma empresa que nasce de uma ideia simples e com um propósito bem claro: resolver problemas rotineiros. No caso do Guilherme, iniciou em como achar vaga na faculdade para não chegar atrasado. Problemas rotineiros surgem todos os dias e ideias para soluciona-los também, porém, como diz o nome deste podcast, ter ideia é aquele 1% vagabundo, afinal de contas, o que conta mesmo é o 99% anjo que vai lá e faz acontecer.

www.gubes.com.br

Entenda como um problema simples se transformou em uma empresa que agora promete revolucionar o mercado de transportes, entenda o impacto de uma ideia disruptiva dentro de um mercado que está passando por uma revolução.

Abaixo seguem as principais sacadas do Guilherme neste podcast:

  1. A motivação para criar a Gubes veio do foco em resolver problemas rotineiros, do dia-a-dia, que ninguém quis resolver;
  2. Uma característica marcante da empresa é a preocupação com o design, isso faz toda a diferença;
  3. A gente faz o negócio com tanto cuidado que encanta quem vê;
  4. Eu achava que era o Steve Jobs, só tinha ideia massa, mas quando você vai colocar a mão na massa mesmo… nossa…
  5. Por que a tecnologia não pode juntar as pessoas? Todo mundo fala que separa, mas por que não usar para juntar?
  6. O problema do transporte está sendo resolvido, mas eu quero juntar as pessoas e as experiências envolvidas naquele momento;
  7. Eu quero capturar as experiências e as conexões que as pessoas estão tendo;
  8. Qual é o significado real de falar “Eu faço o que eu gosto?” Você deixa de existir e passa a viver;
  9. A importância de parar para pensar sobre o que queremos realmente fazer da nossa vida.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *